Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.16/1310
Título: Paraplegia espástica familiar tipo 4 – antecipação ou variabilidade fenotípica?
Outros títulos: Hereditary spastic parapelgia type 4 – anticipation or phenotypic variability?
Autor: Rodrigues, N.
Ferreira, S.
Rodrigues, L.
Castro, A.
Barbosa, C.
Gomes, R.
Palavras-chave: Doença de Strümpell -Lorrain
paraplegia espástica familiar
paraplegia espástica familiar tipo 4
espastina
antecipação
variabilidade fenotípica
Strümpell -Lorrain disease
hereditary spastic paraplegia
hereditary spastic paraplegia type 4
spastin
anticipation
phenotypic variability
Data: Mar-2012
Editora: Nascer e Crescer
Citação: Nascer e Crescer 2012; 21(1): 37-39
Resumo: Introdução: A Paraplegia Espástica Familiar (PEF) é um grupo heterogéneo de doenças neurodegenerativas hereditárias, com uma prevalência de 2/100000 indivíduos na população portuguesa. Caracteriza-se sobretudo por espasticidade progressiva e insidiosa dos membros inferiores, por degeneração do feixe corticoespinhal. Caso Clínico: Apresentamos uma criança com espasticidade e hiperreflexia progressivas dos membros inferiores, com vários familiares da linha paterna com sintomatologia semelhante, sugerindo ao diagnóstico de paraplegia espástica familiar. Foi identificada no probando uma mutação causal de paraplegia espástica familiar tipo 4. Conclusão: Nesta família, a idade de início variou entre os cinco e os 50 anos, e diminuiu em média 22,5 anos ao longo de três gerações e, por outro lado, a apresentação e evolução da doença foram aparentemente mais graves em gerações sucessivas, sugerindo a existência de fenómeno de antecipação. ABSTRACT Introduction: Hereditary spastic paraplegia is a heterogeneous group of inherited neurodegenerative diseases, with a prevalence of 2/100000 in the Portuguese population. It is mainly characterized by progressive and insidious spasticity of the lower limbs due to degeneration of corticospinal tracts. Case Report: We present a child with progressive spasticity and hyperreflexia of lower limbs, with several relatives of the paternal line with similar symptoms, suggesting the diagnosis of hereditary spastic paraplegia. A causing mutation of hereditary spastic paraplegia type 4 was identified in the proband. Conclusion: In this family, the age of onset varies from five to 50 years, and decreased in average 22,5 years over three generations. The clinical presentation and progression apparently tended to be more severe in successive generations, witch these suggests the phenomenon of anticipation.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.16/1310
ISSN: 0872-0754
Aparece nas colecções:RN&C: Ano de 2012

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
08a_CasosClinicos-4_21-1.indd.pdf47,89 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.