Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.16/1589
Título: Infeção tardia por streptococcus agalactiae – um caso de artrite séptica neonatal
Outros títulos: Late-onset streptoccus agalactiae disease – a neonatal septic arthritis case report
Autor: Santos, A
Sousa, B
Gama, AP
Palavras-chave: Artrite séptica
gravidez
infeção tardia por Estreptococo grupo B
recém-nascido
rastreio pré-natal de Estreptococo grupo B
Group B streptococcus screening
late-onset
group B streptococcus disease
newborn
pregnancy
septic arthritis
Data: Dez-2013
Editora: Nascer e Crescer
Citação: Nascer e Crescer 2013; 22(4): 241-243
Resumo: RESUMO Introdução: A incidência da infeção neonatal precoce por Estreptococo do grupo B (EGB) tem diminuído substancialmente devido ao rastreio da colonização por EGB nas grávidas entre as 35 e as 37 semanas de gestação e à instituição da quimioprofilaxia intraparto. No entanto, a incidência da infeção tardia tem-se mantido constante na última década, não sendo afetada pela quimioprofilaxia materna intraparto. A infeção tardia afeta lactentes sem intercorrências obstétricas e com uma evolução neonatal precoce favorável. Outras vias de transmissão além da via vertical, tais como a via horizontal através dos contatos hospitalares ou familiares, poderão justificar a infeção tardia. Caso clínico: Este caso clínico relata uma infeção tardia por EGB que se manifestou como um artrite séptica num lactente caucasiano de termo, com via de transmissão desconhecida. A morbilidade associada é descrita. Discussão: Investigações adicionais sobre o mecanismo de transmissão da infeção tardia por EGB são imperativas para o desenvolvimento de medidas preventivas adequadas.
ABSTRACT Introduction: The incidence of early-onset group B streptococcus (GBS) disease has decreased substantially due to universal antenatal culture screening of pregnant women for GBS colonization at 35-37 weeks of gestation and the widespread use of intrapartum antibiotic prophylaxis. However, the incidence of late-onset GBS disease has remained constant in the past decade and it is unaffected by maternal intrapartum chemoprophylaxis. Late-onset GBS infection affects infants who had an unremarkable maternal obstetric and early neonatal history. Other sources rather than vertical route, like horizontal transmission from hospital or community, albeit less frequently proved, can justifies late onset GBS disease. Case report: This case report illustrates a late-onset GBS disease, presenting as neonatal septic arthritis on a caucasian term infant, with unknown route of transmission and highlights the morbidity associated. Discussion: Additional research pertaining to the transmission of late-onset GBS infections is required to develop effective preventive methods.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.16/1589
ISSN: 0872-0754
Aparece nas colecções:RN&C: Ano de 2013

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
v22n4a08.pdf82,25 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.