Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.16/1763
Título: Comportamentos de risco dos adolescentes portugueses e influência do meio ambiente
Outros títulos: RISK BEHAVIOURS OF PORTUGUESE ADOLESCENTS AND ENVIRONMENT INFLUENCE
Autor: Domingues, S.
Leite, J.
Martins, I.
Sampaio, J.
Fonseca, G.
Lira, S.
Palavras-chave: Adolescência
álcool
atividade sexual
canábis
tabaco
Data: Set-2014
Editora: Centro Hospitalar do Porto
Citação: Nascer e Crescer 2014; 23(3): 124-133
Resumo: Introdução: A adolescência é uma fase de intensa transformação, procura de identidade e necessidade de experimentação. Objetivos: Conhecer os padrões do consumo de drogas e sexualidade dos adolescentes de uma área urbana do grande Porto e analisar a influência do contexto socio-ambiental. Material e métodos: Estudo transversal, e amostra de conveniência de adolescentes inscritos numa escola secundária pública urbana, com realização de um questionário anónimo entre Outubro e Novembro de 2012. Resultados: Obteve-se um total de 141 inquéritos, com 13,8 anos de idade média. Um terço dos adolescentes já tinha experimentado tabaco ou álcool; 8,5% canábis. O consumo de tabaco associou-se significativamente ao de álcool, canábis ou outras drogas. Eram sexualmente ativos, 14,9% dos adolescentes e a idade média de início de atividade sexual foi 13,7 anos. Não utilizaram preservativo na última relação sexual, 28,6%. Verificou-se associação significativa entre atividade sexual e o consumo álcool, canábis ou outras drogas. O consumo de tabaco e de canábis associou-se significativamente com o consumo na família e nos amigos. As retenções escolares associaram-se ao consumo de álcool, tabaco, canábis e outras drogas. Conclusões: O tabaco foi um preditor do consumo de outras substâncias, o que confere extrema importância aos programas dirigidos à prevenção do seu consumo. Dadas as associações significativas, consideramos crucial conhecer o contexto socio--ambiental dos adolescentes, identificando grupos vulneráveis, nos quais estratégias de prevenção seletivas seriam recomendadas. A precocidade do início da atividade sexual observada é preocupante e permite-nos inferir a cerca da elevada prevalência de condutas sexuais de risco.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.16/1763
ISSN: 0872-0754
Aparece nas colecções:RN&C: Ano de 2014

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
03_ArtigoOriginal-1_23-3.pdf185,42 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.