Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.16/1766
Título: Bloqueio do nervo pudendo e simulação obstétrica
Outros títulos: PUDENDAL NERVE BLOCK AND OBSTETRIC SIMULATION
Autor: Guedes-Martins, L.
Guedes, L.
Saraiva, J.
Reynolds, A.
Palavras-chave: Analgesia de parto
bloqueio nervo pudendo
simulação obstétrica
Data: Set-2014
Editora: Centro Hospitalar do Porto
Citação: Nascer e Crescer 2014; 23(3): 145-150
Resumo: A primeira descrição do bloqueio do nervo pudendo foi em 1908. Esta é uma técnica indicada para analgesia nas fases mais adiantadas do trabalho de parto. O uso de técnicas analgésicas eficazes desde os estadios mais precoces do trabalho de parto, como as técnicas do neuro-eixo, deixaram o bloqueio do pudendo para segundo plano. No entanto, é de fácil execução, habitualmente pelo obstetra, e com baixo risco de hemorragia ou infeção. O bloqueio do pudendo é um procedimento com poucas oportunidades de treino na prática clínica, pelo que o retomar da prática na sua execução através do uso de simuladores obstétricos torna-se pertinente. Ainda, a sua utilização em cenários simulados permite a familiarização de equipas multidisciplinares na sua aplicação em diversos contextos, emergentes ou não emergentes. Os principais objetivos deste trabalho são (1) efetuar uma revisão sobre o bloqueio do nervo pudendo na analgesia de parto, focando as principais vantagens e limitações, (2) repensar a sua utilização na ausência ou contraindicação de outras técnicas analgésicas, (3) reavivar a técnica de execução através da simulação aplicada à Obstetrícia.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.16/1766
ISSN: 0872-0754
Aparece nas colecções:RN&C: Ano de 2014

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
06_ArtigoRevisao_1_23-3.pdf95,77 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.