Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.16/1931
Título: Impact of pre-transplant anti-MICA sensitization in graft rejection and survival
Outros títulos: Impacto da sensibilização anti -MICA pré -transplante na rejeição e sobrevida do enxerto
Autor: Costa, R.
Malheiro, J.
Tafulo, S.
Santos, C.
Almeida, M.
Pedroso, S.
Martins, L.
Dias, L.
Castro-Henriques, A.
Palavras-chave: HLA
kidney
MICA
rejection
survival
transplant
rejeição
rim
sobrevida
transplante
Data: 2015
Citação: Port J Nephrol Hypert 2015; 29(2): 130-138
Resumo: Background: Evidence supporting deleterious effect of preformed major histocompatibility class I chain-related A (MICA) antibodies in rejection incidence and graft survival is still unclear. Methods: Retrospective analysis of 554 kidney transplanted patients. Comparison between positive or negative for MICA antibodies patients was performed to characterize sensitizing triggers. Further classification according to pre-transplant flow cytometry-recorded anti–MICA and/or anti-human leukocyte antigen (HLA) antibodies was made to determine first year rejection incidence and graft survival. Multivariate analysis was applied to determine predictors for acute rejection. Results: Pre-formed anti-MICA antibodies were detected in 41 patients (7.4%). HLA sensitization, blood transfusions and pregnancies were frequently found in anti-MICA+ patients but only pre-formed anti-HLA class I antibodies showed independent association (OR 2.67, p= 0.02). Comparing to MICA-/HLA–, MICA-/HLA+ group presented significantly lower first year rejection-free survival (78.6% vs. 89.3%, p< 0.01), mostly occurred in the first six months, while no difference was found in MICA+/HLA– (88.9% vs. 89.3%, p= ns). MICA-/HLA+ showed independent impact in rejection (OR 2.09, p= 0.03), while no evidence was found in MICA+/HLA- (OR 1.08, p= ns). At 4 years, MICA-/HLA+ group presented lower graft survival (85.8% vs. 95.3%, p= 0.03). Again, no difference was found in MICA+/HLA- group (95.1% vs. 95.3%, p= ns). Conclusion: Our results do not support HLA-independent deleterious pathogenic role of pre-formed MICA antibodies on first year rejection incidence and graft survival.
Introdução: O efeito deletério dos anticorpos para antigénios MICA (major histocompatibility class I chain-related A) na incidência de rejeição aguda e sobrevida do enxerto ainda não está consensualmente estabelecido. Metódos: Estudo retrospetivo de 554 transplantados renais. A análise comparativa entre doentes positivos e negativos para anticorpos anti-MICA pré-formados foi realizada para avaliar eventos sensibilizadores. A incidência de rejeição aguda no primeiro ano pós transplante renal e a sobrevida do enxerto renal foram determinadas consoante o resultado da citometria de fluxo pré-transplante para anticorpos anti-MICA e/ou anti- HLA (anti-human leukocyte antigen). Aplicou-se um modelo de análise multivariada para identificação de preditores independentes para rejeição aguda. Resultados: Foram identificados 41 doentes (7.4%) com anticorpos anti-MICA pré formados. A sensibilização para HLA, as transfusões sanguíneas e gestações prévias foram mais frequentes nos doentes MICA + mas apenas a presença de anticorpos anti-HLA classe I apresentou uma associação independente (OR 2.67, p= 0.02). Comparativamente ao grupo MICA-/HLA–, o grupo MICA-/HLA+ apresentou menor sobrevida livre de rejeição ao 1º ano (78.6% vs. 89.3%, p< 0.01), maioritariamente ocorrida nos primeiros seis meses, enquanto que nenhuma diferença foi encontrada com o grupo MICA+/HLA– (88.9% vs. 89.3%, p= ns). Apenas o status MICA-/HLA+ teve impacto independente na incidência de rejeição (OR 2.09, p= 0.03), ao contrário do status MICA+/HLA- (OR 1.08, p= ns). O grupo MICA-/HLA+ apresentou menor sobrevida do enxerto censurada para a morte aos 4 anos (85.8% vs. 95.3%, p= 0.03), não se verificando diferenças no grupo MICA+/HLA- (95.1% vs. 95.3%, p= ns). Conclusão: Os nossos resultados não suportam um efeito deletério dos anticorpos pré-formados para MICA, independente da sensibilização HLA, na incidência de rejeição aguda no 1º ano pós transplante e na sobrevida do enxerto.
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.16/1931
ISSN: 2183-1289
Versão do Editor: http://www.bbg01.com/cdn/clientes/spnefro/pjnh/54/n2_2015_pjnh_05.pdf
Aparece nas colecções:SNU - Artigos publicados em revistas não indexadas na Medline
SNEF - Artigos publicados em revistas não indexadas na Medline

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Impact of pre-transplant anti-MICA.pdf529,85 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.