Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.16/2257
Registo completo
Campo DCValorIdioma
degois.publication.firstPage337pt_PT
degois.publication.issue4pt_PT
degois.publication.lastPage342pt_PT
degois.publication.locationPortugalpt_PT
degois.publication.titleRevista da Sociedade Portuguesa de Dermatologia e Venereologiapt_PT
dc.relation.publisherversionhttps://revista.spdv.com.pt/index.php/spdv/article/view/872pt_PT
dc.contributor.authorMartins, A.-
dc.contributor.authorBettencourt, A.-
dc.contributor.authorTorres, T.-
dc.date.accessioned2018-11-27T11:14:03Z-
dc.date.available2018-11-27T11:14:03Z-
dc.date.issued2017-
dc.identifier.citationRevista SPDV 2017; 75(4):337-342pt_PT
dc.identifier.issn2182-2395-
dc.identifier.issn2182-2409-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10400.16/2257-
dc.description.abstractIntrodução: A psoríase é uma dermatose imunomediada caraterizada por inflamação crónica, proliferação e diferenciação anormal dos queratinócitos, hiperplasia vascular e infiltração de células inflamatórias. É uma doença multifatorial influenciada por alterações genéticas e epigenéticas despoletadas por estímulos ambientais. O clima e a exposição solar parecem afetar a prevalência da psoríase e a radiação ultravioleta é útil na abordagem terapêutica. O nosso objectivo foi avaliar a influência do mês de nascimento (como marcador da época de gestação) no risco de desenvolver psoríase. Métodos: Comparação da distribuição dos meses de nascimentos nos pacientes com psoríase (n = 755) seguidos no Centro Hospitalar e Universitário do Porto com uma população controlo constituída pelos cidadãos portugueses nascidos no mesmo período e área geográfica dos pacientes com psoríase (n = 6 560 032). Resultados: Observou-se uma diminuição do número de nascimentos de pacientes com psoríase no mês de outubro estatisticamente significativa (OR 0,74; 95% CI 0,55 – 0,99; p 0,041). Após correção de Bonferroni e após agrupar os meses por trimestres, não se observaram diferenças estatisticamente significativas. Conclusão: As diferenças estatísticas pouco significativas e não significativas apresentadas podem ser explicadas pelas características meteorológicas particulares de Portugal que podem tornar a síntese de vitamina D relativamente estável durante o ano. A perceção da influência ambiental no desenvolvimento de determinada patologia é importante porque permite o estabelecimento de medidas preventivas que conduzirão à diminuição da sua incidência.pt_PT
dc.language.isoporpt_PT
dc.publisherSociedade Portuguesa de Dermatologia e Venereologiapt_PT
dc.rightsopenAccesspt_PT
dc.subjectEstaçõespt_PT
dc.subjectFactores de Riscopt_PT
dc.subjectLuz Solarpt_PT
dc.subjectPsoríasept_PT
dc.subjectRaios Ultravioletapt_PT
dc.subjectVitamina Dpt_PT
dc.titleEfeito do Mês de Nascimento no Risco de Desenvolver Psoríasept_PT
dc.typearticlept_PT
dc.description.versioninfo:eu-repo/semantics/publishedVersionpt_PT
dc.peerreviewedyespt_PT
degois.publication.volume75pt_PT
dc.identifier.doi10.29021/spdv.75.4.872pt_PT
Aparece nas colecções:SD - Artigos publicados em revistas não indexadas na Medline

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
Efeito do Mês de Nascimento no Risco de Desenvolver.pdf684,94 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.