Utilize este identificador para referenciar este registo: http://hdl.handle.net/10400.16/876
Título: Acidentes e Intoxicações: Estudo numa população do Norte de Portugal
External causes of injuries and poisoning – study in a population in the north of Portugal
Autor: Oliveira, A.
Carreiro, E.
Casanova, C.
Monteiro, V.
Ferreira, N.
Meireles, C.
Palavras-chave: acidentes
intoxicações
prevenção
crianças
accidents
poisoning
injury prevention
child
Data: 2006
Editora: Centro Hospitalar do Porto
Citação: Nascer e Crescer 2006; 15(1): 13-18
Resumo: RESUMO Objectivo: Analisar as causas de traumatismos, ferimentos e lesões acidentais numa população do Norte do País e alertar para a maior causa de morbi- mortalidade na população infantil. Método: Os autores levaram a efeito um estudo baseado na recolha de dados sobre acidentes em crianças até aos 12 anos de idade inclusive que recorreram ao serviço de urgência (SU) no período de 1 de Abril a 31 de Julho de 2005 nos Hospitais que aderiram ao estudo. Foi efectuado um inquérito directo ao acompanhante da criança ao SU, realizado por médico ou enfermeiro. Os parâmetros analisados foram: sexo, idade, tipo de acidente, dia da semana e hora do acidente, acompanhantes, lesões e destino do respectivo episódio. Resultados: Foram considerados válidos 1583 inquéritos, colhidos em 1 Hospital Central e 8 Hospitais Distritais. Em 60,7 % dos acidentes estiveram envolvidas crianças do sexo masculino. O número de acidentes foi igual na idade escolar e na pré-escolar; acontecem mais em casa até aos 5 anos, e após essa idade na escola e em locais de lazer. Quanto às lesões encontradas as contusões foram as mais frequentes. A área corporal mais afectada foi a cabeça, seguida dos membros. As lesões mais graves ocorreram em quedas de altura superior a 2 metros ou atropelamentos. Nas queimaduras, as provocadas por líquidos quentes foram as mais frequentes. Quanto às intoxicações, a ingestão de tóxicos domésticos e medicamentos foram as mais encontradas. Não existiram casos de intoxicação voluntária nesta faixa etária. Após a observação no SU, a orientação foi dividida em: (a) alta imediata; (b) vigilância ou internamento e (c) transferência. Tiveram alta 905 das crianças, sendo transferidas 5,4 % e internadas 3,9%. A percentagem de crianças internadas foi semelhante no Hospital Central e nos Hospitais Distritais. Conclusões: Os acidentes continuam a ser responsáveis por um grande número de episódios de urgência. Os resultados obtidos foram os esperados e confi rmam dados anteriores com as quedas como acidente mais frequente. As quedas e o grupo dos “outros acidentes” são responsáveis pela grande parte das lesões. Os acidentes rodoviários embora representando um pequeno número do total, são responsáveis pelas lesões mais graves e maior percentagem de internamentos. De registar a ausência de intoxicações a organofosforados, facto que se pode dever à diminuição do uso destes compostos agrícolas. Nos “outros acidentes” destacamos os mecanismos mais frequentes. Os autores fazem por fi m uma refl exão sobre a necessidade do despertar para atitudes individuais e de grupo que levem à diminuição drástica dos acidentes através da sua prevenção. ABSTRACT Objective: To analyse external causes of injury and poisoning in a pediatric population in the North of Portugal and to increase awareness to this important cause of morbility and mortality Method: The population studied were all patients aged 0 to 12 years assisted in 9 emergency services in the North of the country, during a 4 months’ period.The parameters analysed were : sex, age, accident type, day of the week and time of the accident, people who escorted the child, injuries and destination of the respective episode. Results: 1583 inquiries, collected from 1 Central Hospital and 8 District Hospitals, were deemed valid. Males were involved in 60,7% of the accidents. The number of accidents was equal in school and preschool age children; they are more frequent at home until the age of 5, and after that age, in school and leisure sports. As for the injuries, the most common were bruises. The most affected area of the body was the head, followed by the limbs. Falls from heights above 2 meters and traffi c accidents were the most severe injuries. As for burns, the ones provoked by the ingestion of hot liquids were the most frequent. Considering poisoning, the ingestion of household poisons and drugs were the more frequent. There were no cases of voluntary poisoning within this age group. 905 children were discharged, 5,4% transferred to another hospital and 3,9% hospitalized. The ratio of hospitalized children versus admissions in Central and District Hospitals was the same. Conclusions: A c c i d e n t s a r e still responsible for a huge number of emergency episodes. Our results were as expected and confi rm previous data, pointing to falls as the most common accident. Falls and the group of “other accidents” are responsible for most of the injuries. Road accidents, although representing a small percentage of the total, are responsible for the more serious injuries and for the ones that have resulted in a higher number of hospitalizations. There were no poisonings due to organofosforates, which can be a result of a decreased use of these farm products. In the “other accidents”, we highlight the more frequent mechanisms. The authors emphasize the need of raising awareness of individual and group attitudes to prevent available accidents.
Descrição: Grupo Coordenador: Abílio Oliveira, Emídio Carreiro, Conceição Casanova, Virginia Monteiro, Nilza Ferreira, Carla Meireles Grupo de Trabalho: H Amarante – Manuel Reis; H Padre Américo – Abílio Oliveira, Cláudia Monteiro, Eunice Moreira, Grupo Triagem Manchester; CH Póvoa – Conceição Casanova, Conceição Fernandes, Elisabete Coelho, Conceição Silva, Paulo Ferreira, Margarida Pontes, Resende Martins, Silva Pereira, Célia Madalena, Venília Benta, Patrícia Santos, Sandra Ramos, Carlos Sistelo; H Barcelos – Sandra Rocha, Ana Reis, Carla Carvalho, Catarina Sousa, Goreti Lobarinhas; H Chaves – Reis Morais; H S João – Emídio Carreiro, Rute Vaz, Isabel Loureiro, Mafalda Sampaio, Mª Céu Espinheira, Susana Soares, Carla Dias, Paulo Soares, Henrique Soares; H Bragança – Judite Marques, Manuela Ferreira, Rosa Mansano; H S Tirso – Álvaro Sousa; H Guimarães – Carla Meireles, Carla Laranjeira, Carla Costa, Cláudia Neto, Ana Teixeira, Susana Soares, Maria José Vale, Joana Neves, Ana Paula Fernandes, Liliana Macedo, Filipe Oliveira; H Oliveira Azeméis – Virginia Monteiro; CH Vila Real – Nilza Ferreira; H Braga – Carla Moreira, Gabriela Pereira; H Lamego – Jorge Sousa;
Peer review: yes
URI: http://hdl.handle.net/10400.16/876
ISSN: 0872-0754
Versão do Editor: http://portint/portal/Portal_Revista%20Nascer%20e%20Crescer-2009-10-13/RNC-Revistas-Artigos/2006%20Vol%20XV%201/AcidentesIntoxicacoes_NeC_15-1_web.pdf
Aparece nas colecções:RN&C: Ano de 2006

Ficheiros deste registo:
Ficheiro Descrição TamanhoFormato 
AcidentesIntoxicacoes_NeC_15-1_web.pdf150,8 kBAdobe PDFVer/Abrir


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Todos os registos no repositório estão protegidos por leis de copyright, com todos os direitos reservados.